Número De Pessoas Milionárias No Brasil Cresce E Chega A Quase 200 Mil  

Um dado chamou atenção de muitas esses dias: o número de pessoas milionárias no Brasil cresceu e chegou a marca de 199 mil. Essa informação foi publicada pela Word Wealth Report de 2020, sendo divulgada pelo instituto de pesquisa Capgemini.

Em números absolutos, o Brasil já é 18° país com o maior contingente de pessoas milionárias. Isso se explica pelo fato do seu tamanho, já que fica na frente de muitos países ricos, como: Suécia e Áustria.

E os primeiros colocados desse seleto grupo estão no Japão, Alemanha, Estados Unidos e China. Nsses quatro primeiros estão concentrados 61,6% da população conhecida por HNWI, que é a sigla que identifica a pessoa que tem alto patrimônio liquido, com investimentos que passam a casa de US$ 1 milhão. Os Estados Unidos possuem quase 6 milhões de milionários.

Entre os anos de 2018 e 2019, a população total de pessoas milionárias cresceu 8,8%, aumentando em todas as regiões do mundo. São 19,6 milhões de pessoas e 18 milhões do ano de 2018. Aliás, a riqueza cresceu 8,6%, representando US$ 74 trilhões. Já na América Latina, o crescimento foi de 2,7%.

Além disso, o maior crescimento foi registrado na América do Norte com 10,9% e em seguida vem o Oriente Médio com 9,3%. Desde 2012, foi a primeira vez, que a região Ásia-Pacífico não ficou no quesito liderança da pesquisa. A América do Norte registrou alta de 11% e a América Latina de 4,4%.

Os analistas de Capgemini afirmam também que houve uma mudança notável no que diz respeito as acomodações de politicas monetárias em diversas regiões e otimismo de desempenho do setor de tecnologia. Isso teria acalmado as tensões do mercado financeiro.

Veja também:

+ Saiba como obter a Carteira de Trabalho Digital. 

++ Estude Inglês de forma gratuita sem sair de casa.

No relatório no ano passado, que se refere ao ano de 2018, mostrou a primeira baixa de milionários depois de 7 anos consecutivos de crescimento. Essa queda se explica pelo fato de haver uma guerra comercial entre China e Estados Unidos, que acabou derrubando o desempenho econômico do país asiático, e no brexit, com as incertezas existentes no mercado europeu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima