Covid-19 – Proporcionalmente 50% Da População Já Tem Anticorpos

Desenvolvida através da segunda fase do EpiCovid-19, a Universidade Federal de Pelotas divulgou que a população com anticorpos Covid-19, proporcionalmente, subiu 50%.

Essa segunda fase foi realizada entre os dias 4 e 7 de julho, trazendo resultados inéditos. E durante esses quatro dias de coleta, foram analisadas 133 cidades dos estados brasileiros.

Os pesquisadores chegaram a conclusão através de 31.165 entrevistados e testes para a pandemia.

Além disso, em 120 cidades, onde estão incluídos 26 das 27 capitais do Brasil (menos Curitiba), foram testadas pelo menos 200 pessoas, que foram selecionadas através do sorteio.

E em comparação com a primeira fase da pesquisa, que aconteceu entre os dias 14 e 21 de maio, foram testadas e entrevistadas 25.025 pessoas, sendo possível testar em 200 pessoas em 90 cidades.

“Esse avanço metodológico talvez seja o grande destaque da segunda fase da pesquisa. Com um maior número de entrevistas realizadas e de cidades incluídas nas análises, aumenta a nossa capacidade, enquanto epidemiologistas, de interpretar os dados sobre coronavírus no Brasil”, disse o coordenador geral do estudo, Pedro Curi.

E dentro de 83 cidades foram testadas ou entrevistadas 200 ou mais pessoas nas duas fases realizadas pela pesquisa. E nessa cidades, proporcionalmente, a população que tem anticorpos aumentou de 1,7% na primeira fase de pesquisa para 2,6% para a segunda fase de acordo com a margem de erro da pesquisa. Isso significa que esse aumento de 53% é estaticamente significativo e inédito comparado a estudos similares.

E como por exemplo podemos citar a Espanha. Por lá, um estudo muito parecido, indicou que houve um aumento de 4% dentro das duas etapas da pesquisa.

Aliás, no conjunto de 120 cidades que tiveram um alcance de 200 ou mais pessoas na segunda fase da pesquisa, as pessoas com anticorpos, proporcionalmente, ou seja, que tiveram ou não coronavírus, ficou estimado em 2,8%, podendo haver uma variação de 2,6% a 3,0% de acordo com a margem de erro.

Vale salientar que esses dados levam em conta a taxa e falsos positivos e falos negativos dentro de testa rápido que foi feito. Essas 120 cidades se equivalem 32,7% da população do país, que dá um total de 68,8 milhões de pessoas, sendo que 1,9 milhão estão ou estiveram infectados (margem de erro entre 1,7% e 2,1 milhões).

Um ponto muito importante que deve ser levado em conta nessa pesquisa é que essas 120 cidades não devem ser divulgados para todo o Brasil para poder estimar o número de casos absolutos do Brasil, já que são provenientes de cidades populosas, onde há uma circulação intensa de pessoas e que também há concentração de serviços de saúde. Isso significa que a dinâmica da pandemia pode ser diferente da observada em cidades que são pequenas ou em áreas rurais.

Contudo, os pesquisadores afirmam que a quantidade de pessoas que possuem anticorpos no Brasil certamente já está em milhões, não estando nos milhares. Além disso, a quantidade de pessoas que tem anticorpos é desproporcional a quantidade de pessoas que não foram testadas, já que essas 120 cidades somavam 296.305 casos confirmados com 19.124 mortes.

Os dados do EpiCovid-19 estima que a cada caso confirmado nessas cidades, existem 6 pessoas que possuem anticorpos. E a diferença por regiões pode ser considerada marcante. Isso significa que as 15 cidades com maior prevalência estão incluídos 12 da Região Norte e 3 da Região Nordeste (Fortaleza, Maceió e Imperatriz). Já na Região Sul, nenhuma cidade mostrou uma prevalência maior do que 0,5% e, na Região Centro-Oeste, três cidades ultrapassaram essa marca (Cuiabá, Luziânia e Brasília). Dessa forma, segundo os pesquisadores, esse resultado confirma e mostra que a Região Norte possui o cenário epidemiológico mais preocupante de todo o Brasil. Vale salientar que essa informação já havia sido mostrada na primeira fase da pesquisa.

A diferença entre as capitais do Brasil também são marcantes. Em Boa Vista (RR), a população, proporcionalmente falando, ficou estimada que cerca de 25% já tiveram ou tem coronavírus, ou seja, a cada 4 habitantes dessa cidade, um está ou já esteve infectado.

Foi possível testar 200 ou mais pessoas dentro de 26 capitais das 27 existentes. E entres elas, seis mostraram resultados superior a 10%: Boa Vista (RR), Belém (PA), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Macapá (AP) e Maceió (AL). E das 10 cidades que possuem percentual mais alto da população com anticorpos, 4 são da Região do Norte, 1 da Região Sudeste e 5 da Região Nordeste.

E os resultados da EpiCovid-19 para o Rio de Janeiro na segunda fase, mostrou que a população que possui anticorpos (7,5%) ficou estimado que 503 mil pessoas tem ou já tiveram coronavírus na cidade.

Além disso, em algumas cidades, a diferenças entre os resultados da primeira fase e da segunda foram grandes. No Rio de Janeiro, por exemplo, a proporção de pessoas que possui anticorpos para o covid-10 aumentou de 2,2% para 7,5%. Em Maceió, teve um aumento de 1,3% para 12,2%. Já em Fortaleza, o aumento passou de 8,7% para 15,6%.

Veja também:

+ Você sabe o que é 5G DDS?

++ 5 cursos gratuitos de idioma disponíveis.

Esse estudo é financiado pelo Ministério da Saúde e coordenado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas. Além disso, o estudo conta com o apoio do Instituto Serrapilheira, que é da Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco e da Pastoral da Criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima